Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

ONLINE
1




Partilhe este Site...





Total de visitas: 376276
ENTREVISTA COM MERARI TAVARES
ENTREVISTA COM MERARI TAVARES

1. Quando você começou a se aventurar na literatura? Sofreu influência direta de parentes mais velhos, amigos, professores? O que aprendeu na escola o instigou a criar textos?

           Minha paixão pela leitura nasceu quando era ainda menina. Em casa, meus pais sempre leram muito. Meu pai vivia lendo jornal. Minha mãe — professora —, sempre me incentivou a ler; trazia novos livros que me encantavam e, frequentemente, lia e contava historinhas para mim.

           Sendo assim, o gosto pela leitura se perpetuou. Contudo, o anseio em se tornar escritora nasceu por volta dos doze anos.

          Como já mencionado, minha própria família me influenciou e sou muito agradecida por isso. Sem contar minhas professoras. Tive professoras maravilhosas, que marcaram a minha vida. Professoras excelentes!!!

           Na escola, eu me destacava nas redações. Era a matéria em que mais gostava. Sempre fui apaixonada por escrever. Enquanto muitos quebravam a cabeça para compreender e corresponder ao tema solicitado, isso era “fichinha” para mim, ao contrário do que ocorria na área de exatas! (risos).

 

 

2. Você já leu muitas obras e lê frequentemente? Que gêneros (poesia, contos, crônicas, romance) e autores prefere?

            Nossa! Não só li, como leio frequentemente. Já perdi as contas!!! (risos).

            Procuro ler de tudo um pouco, mas, sempre tem aquele gênero em que temos uma quedinha, não é mesmo? Romance, claro!

            São diversos os autores que admiro, porém, citarei apenas alguns. Desta vez, tentarei focar nos autores brasileiros. Aliás, vamos fazer uma campanha para valorizarmos os autores nacionais!

            Vamos lá: Pedro Bandeira, Marcos Rey, Raul Drewnick, Adriana Brazil, Shirlei Ramos, José Araújo, Mario Rezende, Sheakespeare, Daniella Stell, Emily Griffin, John Grogan, J.K.Rowling, entre outros.

 

 

3. Costuma fazer um glossário com as palavras que encontra por aí (em livros, na internet, na televisão etc.) e ir ao dicionário pesquisá-las?

            Não costumo fazer glossário. Geralmente, quando leio, o dicionário está por perto; sendo assim, consulto-o em seguida.

 

 

4. Há escritores de hoje na internet (não consagrados pelo povo) que admira? Em sites, Academias de que de repente você participa etc.

            Claro que há. Existem muitos escritores talentosos escondidos por aí: Shirlei Ramos é uma delas. Li seu livro — A Missão de Anabel — e, simplesmente me encantei pela história e pela autora. Dentre outros autores.

           

 

5. Você costuma participar de antologias? Acha-as algo interessante? Participaria de uma se eu a lançasse?

            Já participei de muitas antologias. É evidente que são interessantes e importantes no início da carreira do autor, simplesmente, pelo fato de muitas pessoas terem a oportunidade de conhecer o seu trabalho, sem grandes investimentos. Contudo, hoje, faria uma análise para ver se o tema compete ao meu perfil, a fim de oficializar a participação. Na vida, sempre existirá um tempo e escolhas, e você tem o livre arbítrio para fazê-las. Cabe a você, fazer a escolha certa, para o momento certo.

 

 

6. Você é membro de Academias de Letras? Aceitaria indicações para ingressar em Academias de Letras como membro?

            Sim, faço parte de algumas Academias. Nesta pergunta, retomo minha resposta anterior; aceitaria, porém, caberia a mim decidir se o momento seria propício ou não.

 

 

7. Tem ideia de quantos textos literários já escreveu? Há quanto tempo escreve ininterruptamente?

            Bem, em torno de 400 textos ou mais. Iniciei aos treze anos de idade. Entretanto, faz seis anos que me envolvo com a escrita com paixão e alma.

 

 

8. Você tem dificuldade de escrever em prosa, em verso? 

            Em partes. Não somos perfeitos, não é mesmo? Depende do momento, da inspiração, do ambiente... Cada autor possui um dom, escreve aquilo que a alma emana, quando menos se espera.

 

 

9. Você possui algum lugar onde publica textos virtualmente? Qual? 

            Anos atrás, costumava publicar muitos textos no Recanto das Letras. Hoje, já não os faço com certa freqüência. Ultimamente, vez ou outra, publico alguma poema no próprio Facebook.

 

 

10. Que temas prefere escrever? Prefere ficção ou o que vivencia e vê no dia a dia?

            Prefiro escrever tudo aquilo que se assemelha à realidade. Temas em que as pessoas possam se identificar com alguma cena aqui, outra acolá. Prefiro temas que vivencio e apalpo; cenas comuns do cotidiano, ou, inusitadas.

 

 

11. Aprecia outros tipos de arte usualmente? Frequenta museus, teatros, apresentações musicais, salões de pintura? Está envolvido com outro tipo de arte (é pintor, músico, escultor?)

            Sim.  Amo a música! Afinal, música é a arte de manifestar os diversos afetos da nossa alma, mediante o som. Além disso, minha outra paixão é a música; amo e toco alguns instrumentos. Faz bem à alma!!! Mensalmente, frequento ensaios orquestrais.

 

 

12. Que retorno você espera da literatura para si mesmo no Brasil? E a nível de mundo?

            Bem, falar de literatura no Brasil é complicado. São raros os autores que conseguem viver de literatura aqui. Contudo, a meu ver, apesar das circunstâncias, pouco incentivo e reconhecimento, percebe-se que os brasileiros estão lendo mais.

            Em minha opinião, muitos escritores se acomodam; acham que somente a Editora tem que fazer a parte dela, afinal, ele (o autor) já escreveu um livro. Na verdade, não é bem assim. Nós (o conjunto: autor, editora etc.), temos que fazer a nossa parte; arregaçar as mangas e divulgar nosso trabalho. Se ficarmos sentados, com as mãos atadas, esperando o nosso livro se tornar um Best Seller, fica difícil.

Eu não acredito em sorte, e sim, em Deus. Ele é o escritor dos escritores. Querendo Ele operar, quem impedirá?

O retorno que espero é esse; está tudo nas mãos do Poderoso. O mercado está cada vez mais competitivo, porém, a minha fé e minha segurança não estão no homem, e sim, Naquele que tudo pode e tudo criou. A confiança sendo Nele, o sucesso é garantido!

 

 

 

13. Você acha que o brasileiro médio costuma ler? Acha que ele gosta de literatura tradicional ou só de notícias rápidas e sem profundidade?

            Conforme mencionado na pergunta anterior, acredito que hoje o hábito da leitura faz parte da vida da maioria dos brasileiros.  A tecnologia está a cada dia mais avançada, e sendo assim, as notícias são instantâneas. Querendo ou não, o brasileiro está lendo a maioria do tempo, uma vez que estão conectados quase 24h.

Na rede, além do contato cibernético, notícias, propagandas estão presentes a todo o momento. Agora, não podemos generalizar. Aquele que gosta de ler algo mais profundo, um livro, um romance, vão ler; sem sombra de dúvida. Aqueles que não são fanáticos por leitura, ficarão apenas teclando no Facebook  e curtindo as notícias mais breves.

 

 

14. Você costuma registrar seus textos na FBN antes de publicá-los? Sabe da importância disso?

            Não. Sim, estou ciente.

 

15. Já tem livros-solo publicados? Consegue vendê-los com certa facilidade? 

            Sim. Possuo 4 livros publicados. Sim, consigo vendê-los com certa facilidade, uma vez que trabalho na divulgação deles.

 

 

16. Já conhecia o poeta-escritor Oliveira Caruso (desculpe-me... Esta pergunta é padrão para quem participa de meus concursos literários)?          

            Sim, já conhecia. Nós nos conhecemos pessoalmente em um desses eventos literários, em Niteroi.

 

 

17. Você trabalha com literatura inclusive para aumentar sua renda ou a leva como um delicioso hobby?

            Dizem que quem faz o que ama, não trabalha, apenas executa. Sendo assim, além de fazer o que amo, é a minha profissão.

 

 

Merari Tavares

escritora

topo